17 Acessos
O projeto foi premiado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) da ONU

 

O projeto Energia Solar para Bombeamento de Água no Semiárido Piauiense, da Universidade Federal do Piauí (UFPI) vem transformando vidas através da tecnologia. Os recursos financeiros do projeto são geridos pela Fundação Cultural e de Fomento à Pesquisa, Ensino, Extensão e Inovação (FADEX).  


“Em 2017 a universidade recebeu um recurso oriundo de uma emenda parlamentar para investir em ações que envolvesse energia solar. Entendemos que poderíamos reunir dois grandes recursos que temos em abundância no nosso estado: a radiação solar e o lençol freático. Nasceu, então, a ideia realizamos um projeto de sistema de bombeamento de água no semiárido piauiense utilizando a energia solar”, explicou o professor Marcos Lira do curso de Engenharia Elétrica e coordenador do projeto. 
Segundo o professor, o projeto contempla os residentes de comunidades rurais que não possuem energia elétrica para bambear a água de poços. Atualmente, 10 sistemas já foram instalados na região de Campo Maior, Floriano, José de Freitas e Oeiras. Um sistema maior, que abrange um número significativo de famílias deve ser instalado até o final de 2020.


“O sistema consiste em uma placa de energia solar e uma bomba que é colocada dentro do poço. A água, que em média é utilizada 5 mil litros por dia, tem que ter o propósito de ser utilizada para agricultura familiar. Então, é preciso termos ali a partir de duas famílias que possam fazer o uso dessa água. Temos tido experiências fantásticas do antes e do depois dessas comunidades”, afirmou Marcos Lira.


Em dezembro de 2019, a FADEX apresentou o projeto ao Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) da Organização das Nações Unidas (ONU), na qual esteve entre as seis ações premiadas, garantindo recursos para a instalação de mais 10 sistemas.

O projeto foi premiado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) da ONU

Comentar: